Monografias e artigos

Monografias

Diálogos entre a fala e a escrita na produção de perfis jornalísticos em ambientes educacionais
Esta tese de doutorado (ECA/USP, 2013) investiga modos de dialogia que ocorrem na passagem da fala para a escrita, durante a produção de perfis jornalísticos em ambiente educacionais. O objetivo foi identificar diferentes soluções exploradas por estudantes, a relação que estas possuem com o grau de letramento e, assim, encontrar formas de facilitar o desenvolvimento da escrita.

Livro “A invenção da baianidade“.
Baseado na dissertação de mestrado “A arte de ser baiano segundo as letras de canções da música popular”, defendida em 2001 no Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da UFBA.

Antropologia radical: ou a etnografia fotográfica de Pierre Verger sobre a cultura negra na Bahia
Monografia apresentada como TCC (1996) no curso de comunicação (UFBA) sobre o trabalho de Pierre Verger como repórter fotográfico em Salvador, na Bahia.

 

Artigos

Ensino de jornalismo e desenvolvimento da escrita: influência da organização tópica da entrevista na elaboração de perfis

Artigo publicado na revista Animus (UFSM). Neste trabalho analisamos o modo como a entrevista (oral) participou da elaboração de perfis (escrita) na produção de estudantes de jornalismo. A intenção foi observar a interação fala-escrita em processos de desenvolvimento da escrita que envolvem retextualização (passagem do oral para o escrito). Para identificar essa interação, usamos a ideia de tópico (tema), que nos mostra em que momentos a sequência dos tópicos da entrevista foi mantida ou alterada no perfil. Também buscamos identificar as diferentes soluções exploradas pelos estudantes e a relação dessas soluções com a maturidade da sua escrita. Assim, localizamos opções didáticas aplicáveis em cursos de jornalismo que sejam compatíveis com esse quadro.

 

A entrevista como tema de pesquisa no campo da comunicação

Artigo publicado na revista Famecos (PUCRS). O objetivo do trabalho foi investigar o que tem sido e o que não tem sido debatido a respeito da entrevista na pesquisa científica brasileira no campo da comunicação. Inicialmente observamos pesquisas apresentadas nos últimos 10 anos no maior congresso da área. Foram identificados três eixos principais: discurso, interação e memória. Em seguida, revisitamos os dois trabalhos mais citados pelos pesquisadores, de Edgar Morin e Cremilda Medina. Identificamos aspectos de destaque na formulação de ambos e também os silenciados. A comparação desses aspectos com a abordagem da entrevista em outro campo, o da história oral, demonstrou que, na comunicação, é preciso ampliar o debate, ainda incipente, sobre temas como: relação de poder entre entrevistador e entrevistado; compartilhamento de benefícios; elaboração de perguntas e entrevistas sobre traumas. A ampliação desse debate justifica-se ainda pela dissonância entre práticas jornalísticas arraigadas e novas demandas da comunicação contemporânea.

 

Verdade e ficção na produção jornalística: entrevista e memória

Artigo publicado na revista ECO-Pós (UFRJ). O objetivo foi analisar a tensão entre verdade e ficção no jornalismo. Toma como pontos de partida o fato de que a entrevista é o procedimento básico de coleta de dados no jornalismo e a constatação de que toda entrevista lida com a rememoração oral. Memória que é sempre seletiva e imaginativa. Assim, o jornalismo, ao mesmo tempo que promete mostrar a “verdade”, de forma objetiva, imparcial, transparente, não pode escapar da fecundidade das fontes que utiliza. As reflexões apontam na direção de um entendimento dos textos como facilitadores da empatia, possibilidades de contato com “experiências” de vida, com mitobiografias. O que transcenderia, portanto, o papel informativo.


Ensino de jornalismo: observação de hábitos de leitura e escrita entre universitários como informação preliminar às decisões didáticas

Artigo publicado na revista Comunicação & Sociedade (Metodista). O objetivo foi contribuir para o enfrentamento dos desafios relacionados ao ensino e à aprendizagem no ensino superior. Um dos aliados nesse processo e na tomada de decisões didáticas é o conhecimento sobre o processo de constituição dos estudantes como escreventes e leitores. Os dados aqui descritos e analisados tratam de hábitos de leitura e escrita entre estudantes de comunicação, principalmente de jornalismo. Os dados foram coletados por meio de um questionário respondido por 15 estudantes de 11 instituições públicas e privadas de São Paulo. (Em parceira com Maria Otília Bocchini)

Ensino de jornalismo e desenvolvimento da escrita: influência da organização tópica da entrevista na elaboração de perfis
Artigo apresentado no GP Comunicação e Educação, do XXXVII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Intercom.  O texto analisa o modo como a entrevista (oral) participou da elaboração de perfis (escrita) na produção de estudantes de jornalismo. A intenção foi observar a interação fala-escrita em processos de desenvolvimento da escrita que envolvem retextualização (passagem do oral para o escrito).

Gêneros jornalísticos no ensino-aprendizagem da escrita: da entrevista ao perfil
Artigo publicado na revista Fronteiras – estudos midiáticos (Unisinos). O objetivo é comparar a organização tópica da fala e da escrita numa atividade de produção de texto realizada com estudantes de jornalismo, que envolveu simultaneamente o gênero “entrevista” e o gênero “perfil”. A tentativa é observar como se dá a apropriação desses gêneros quando convertidos em gêneros escolares e as implicações, em processos de aquisição da escrita, da associação entre escrita e oralidade.

Diálogos entre a fala e a escrita
Artigo publicado na revista Rumores (USP). O texto retoma algumas teorias sobre mudanças na percepção, mentalidade e organização social decorrentes do modo de comunicação predominante: oral, manuscrito, tipográfico, eletrônico. Em seguida, busca localizar proximidades entre a fala e a escrita, especialmente após a “retribalização” propiciada pela comunicação eletrônica e digital.

Produção laboratorial no ensino de jornalismo: em busca de uma educação comunicativa
Artigo publicado na revista Lumina (UFJF). O objetivo é explorar alguns aspectos envolvidos na criação de produtos laboratoriais em cursos de jornalismo. Situada numa perspectiva educacional, a abordagem diz respeito especialmente ao contexto de produção dos jornais-laboratório, a experiências com publicações digitais e discute ainda o tema das variações linguísticas, por conta da sua necessária vinculação à questão da produção da escrita.

Anúncios

Entrevistas

Eliane Brum e a arte da escuta
Entrevista publicada na revista Em Questão (UFRGS). A jornalista gaúcha Eliane Brum é autora de perfis, reportagens, livros e documentários que receberam cerca de 60 prêmios no Brasil e exterior. Nesta entrevista sobre o seu método de trabalho, ela explica como surgem as ideias de pauta, como localiza os entrevistados,  fala sobre a sua forma peculiar de entrevistar e sobre a relação com os entrevistados.

Josué Firmo
Entrevista com um importante líder comunitário de Jaguaripe II, bairro situado na região da Estrada Velha do Aeroporto, em Salvador.

Mãe Stella de Oxóssi
Entrevista com Mãe Stella, mãe-de-santo do do Ilê Axé Opô Afonjá, um dos mais antigos terreiros de candomblé do Brasil.

Entrevista com Waldeloir Rego
Falecido em 2001, o baiano Waldeloir Rego foi um importante pesquisador da cultura afro-brasileira.